Notícias

Novidades e Informações sobre o setor logístico

Voltar

Itapoá entre as cidades que mais crescem em Santa Catarina

Após um ano conturbado para o país, que refletiu na economia de todos os estados, a expectativa da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) é que, em 2019, a economia catarinense volte a crescer. Segundo dados levantados pela federação, de janeiro a setembro do ano passado, o PIB de Santa Catarina cresceu 2,7%, ficando acima da média nacional.

Outros indicadores de crescimento econômico também foram positivos no mesmo período e explicam a visão otimista da federação. Na produção industrial o aumento registrado foi de 4,4%, nas vendas 13,3%, na exportação 4,8% e na importação 24,1%. Isso tudo em uma época de paralisação de caminhoneiros e uma conturbada eleição presidencial.

A previsão da Fiesc é que esses números se mantenham numa crescente e ao que tudo indica eles estão certos. Segundo a secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Santa Catarina, cerca de R$ 7 milhões serão investidos no estado nos próximos três anos pelo setor privado.

A captação desses recursos e perspectivas de melhora já refletem bons números nas primeiras análises de 2019. Um relatório lançado pela Federação das Associações Empresariais de Santa Catarinas (Facisc) apontou crescimento de 8,07% em janeiro e fevereiro no estado em comparação ao mesmo período do ano passado. Esse resultado foi divulgado no relatório do Índice de Performance Econômica da Região (Iper), em fevereiro deste ano.

O documento também mostra que o norte do estado cresceu 8,75% em suas atividades econômicas. A região ficou atrás apenas do Vale do Itajaí, que cresceu 11,87%.

A atração de grandes indústrias e empresas para a região é a principal responsável pela alavancada na economia do norte do estado. Isso já é percebido no Produto Interno Bruto (PIB) de algumas cidades. Em Joinville, por exemplo, maior cidade da região, o PIB é de R$ 25,2 bilhões segundo dados do IBGE. Essa análise considera números de 2016 e é sempre retroativa a dois anos.

Em crescimento populacional a região norte de Santa Catarina também é destaque, Oito das 10 cidades com o maior crescimento populacional são de lá. Entre elas estão Schoereder, com aumento de 3,25% no número de moradores, Balneário Piçarras (2,97%) e Itapoá (3,23%). A que mais cresceu, segundo o IBGE, foi Araquari, que teve aumento de 4,09% na população, no último ano e, segundo previsões do Instituto, chegou a 36.710 habitantes em 2018. No país ela ficou em sexto lugar entre os municípios com maior taxa de crescimento geométrico populacional.

Desde 2014 Araquari vem liderando o top do ranking dos municípios que mais cresceram em população. Outros indicadores colocam a pequena Araquari em destaque. O PIB da cidade aumentou 1000% em sete ano. Em 2009, o PIB era de R$ 329 milhões e chegou a R$ 3 bilhões em 2016. Hoje ela é a 17ª cidade com o maior PIB do estado e a 300ª com o maior PIB do país. No PIB per capita Araquari fica atrás apenas de Piratuba, com R$94 mil para 33 mil habitantes.

Vista aérea de Araquari — Foto: Prefeitura de Araquari

Vista aérea de Araquari — Foto: Prefeitura de Araquari

Tamanha expansão vem garantindo a Araquari maior participação no repasse de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), feito pelo Estado ano após ano. O retorno do tributo era 2009 era de R$ 4,2 milhões. Em 2017, a cidade recebeu R$ 26,8 milhões. Isso representa um aumento de 600% em oito anos. Para 2019,o repasse divulgada pelo Governo do Estado deverá ser de 11 milhões a mais do que em 2018.

Geração de empregos

De acordo com o último relatório divulgado em 2018 pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, Santa Catarina teve o terceiro estado com melhor desempenho nas contratações naquele ano. Joinville foi a cidade de destaque: contratou mais do que demitiu, fechando 2018 com o saldo positivo de mais de 9 mil postos de trabalho formais.

A vizinha Araquari também tem mostrado ótimos números nas contratações formais. Segundo dados divulgados pelo IBGE através do Cadastro Nacional de Empresas (Sidra), em 2009, 5.432 tinham empregos com carteira assinada. Isso representava 34% dos habitantes da cidade. O último relatório divulgado pelo Sidra foi em 2016. Nessa época o número de trabalhadores formais de Araquari ultrapassou 13 mil.

Para o prefeito da cidade, Clenilton Carlos Pereira, 2019 não será diferente no que diz respeito ao aumento de número de vagas ofertadas em Araquari.

-Estamos muito otimistas. Nossa previsão é de que, com a economia seguindo forte e novas empresas chegando em Araquari, conseguiremos gerar pelo menos 600 novos postos de trabalho neste ano -, comenta.

A indústria é responsável por boa parte das vagas de emprego. Araquari tem 4500 empresas, incluindo algumas gigantes, como a montadora alemã BMW e a multinacional coreana Hyosung, que fabrica fios de elastano para indústria do vestuário. Uma das fábricas do grupo Mabel Pepsico também está em Araquari, sendo fabricadas ali bolachas e waffles.

BMW em Araquari — Foto: Prefeitura de Araquari

BMW em Araquari — Foto: Prefeitura de Araquari

Quer receber mais informações sobre o Clif?